Todos os posts em: Relacionamentos e Sexualidade

Contrai-relaxa! Como o pompoarismo pode transformar a sua vida sexual

Popularizado no Ocidente por sua conotação sexual, o Tantra na verdade é muito mais que isso, constituindo uma milenar e complexa filosofia comportamental de características matriarcais que  tem por objetivo o desenvolvimento integral do ser humano nos seus aspectos físico, mental e espiritual. Dentre os inúmeros aspectos do Tantra, está a sexualidade. Se no Ocidente o corpo e o sexo são considerados frutos do pecado original, resquícios da nossa educação cristã, em grande parte do Oriente o corpo é considerado o templo da alma e, assim, o sexo pode ser um caminho sagrado para atingir a iluminação. “Na medida que a pessoa vai olhando para dentro, reconhecendo seu corpo e sua alma, sua energia, inicia-se um processo de aceitação, fluidez e transformação com a elevação da energia”, explica Antar Surya, coordenadora da Consciência Tântrica e facilitadora de cursos de pompoarismo tântrico. Antar explica que o pompoarismo é uma técnica milenar criada pelas Antigas Sacerdotisas bem antes de Cristo, mas que foi redescoberta, aperfeiçoada e nomeada na India através do Tantra. O Pompoarismo consiste na contração e no relaxamento da musculatura circunvaginal …

Estamos sexualmente mais livres, mas não necessariamente mais satisfeitas

Vira e mexe alguma amiga compartilha no Facebook uma pesquisa estilo “um a cada três homens tem nojo de perereca/dois a cada três não gostam de fazer oral”, um meme que diz “não finja orgasmo, deixe o cara saber que fode mal”, ou algo do tipo. Por um lado, é um sinal que a mulher está cada vez mais interessada em seu próprio prazer e não está mais apenas disposta a servir, o que é ótimo. Depois de séculos de subjugação, caminhamos enfim para a nossa tão sonhada liberdade sexual. Além do longo histórico de auto-centramento (para não dizer egoísmo) masculino no que diz respeito ao sexo, o que explica em parte o desempenho marromenos que os homens parecem estar apresentando, arrisco outro palpite do por quê em geral as pessoas no geral não estão muito satisfeitas sexualmente. Para construir um bom sexo entre um casal (ou para descobrir suas preferências sexuais ou o que for) é preciso entrega, intimidade, respeito, carinho e amor; é preciso um interesse sincero na outra pessoa e em seu prazer e …

Amor livre ou sexo livre? Sobre amor, relacionamentos abertos e amizade

Para ler ao som de Marriage is for old folks – Nina Simone Por maior que seja o amor entre um casal, mais dia menos dia (sempre) chega o momento em que um dos dois se percebe atraído por uma outra pessoa além do conjugue em questão. Geralmente incompreendido e demonizado por nossas mães e avós como reles “putaria” e “sem vergonhice”, o impulso de beijar ou ter relações sexuais extra-conjugais vem sendo cada dia mais debatido e vivido pelas gerações mais novas. Essa nova forma de relacionamento ganha nomes simpáticos e diversos, tais como “relacionamento aberto”, “amor livre”, “poli-amor”… Mas a situação está longe de ser tão simples ou bem resolvida quanto indicam os termos que a referenciam. Mesmo refletindo sobre a “Ética do tesão na pós modernidade”, conforme ilustrou a genial Katzen Minze/Garota Siririca, em que medida os homens continuam privilegiados nas relações poligâmicas e/ou nos triângulos amorosos? Se nossos avôs já traíam nossas avós, abertamente ou por debaixo dos panos, talvez não haja muito nada de novo nessa história de relacionamento aberto. Uai, mas …

“Ah, aquela piranha…” A eterna rivalidade feminina

Dizem as estatísticas más línguas que Belo Horizonte, a cidade daonde venho, possui 10 mulheres para cada homem. Talvez seja diferente em outros lugares, mas por aqui uma coisa que sempre me intrigou é como homens e mulheres lidam de maneiras completamente distintas com o fato de ficarem com pessoas em comum. Enquanto dois homens, se já não eram amigos antes de beijarem a mesma dama, muito provavelmente o serão daí a pouco; a competição entre mulheres é tão forte que muitas vezes duas minas que por acaso coincidiram de se relacionar com o mesmo cara tornam-se inimigas mortais, um desafeto que é estendido para muito além do tempo de envolvimento delas com o par de calças em questão. “Ah, aquela piranha…” Se buscarmos à fundo, a competitividade feminina pode ser relacionada a diversos fatores. Pensemos nas brincadeiras infantis. Voltando ao modo como meninas e meninos são educados, podemos ter uma boa pista do por quê isso acontece. Enquanto meninos são criados com jogos e atividades estimulantes mental e fisicamente, recebendo incentivos para serem grandes …

O que aprendi em um relacionamento à distância

Na adolescência, estudando em colégio particular, tive muitas amigas que foram passar um ano fora do país em programas de intercâmbio. “E o namoro? Você vai terminar, né? Deixa de ser boba, se desliga dessa realidade daqui, vai aproveitar a vida…” Do alto dos meus 16 anos de pretensa experiência e vivência, esse era o meu conselho para todas que iam em busca do novo, além-mar. Alguns anos mais tarde, vivi meu primeiro amor. Pra algumas pessoas acontece aos 7 anos de idade, pra mim aconteceu aos 21. A gente se conheceu quando entramos no curso de Ciências Sociais, mas só depois de uns 3 anos de amizade é que fomos, bêbados que nem dois cachorros, dar nosso primeiro beijo. E eu vi luzes coloridas quando beijei ele pela primeira vez. Na época, até mesmo os amigos dele me advertiam pra tomar cuidado, que ele não era homem pra se apaixonar. Sem muita expectativa, segui o conselho. Nos encontrávamos na casa dele e depois de fazer amor uma, duas, três, quatro vezes… eu contava pra …

Manual da Masturbação Lesbofeminista

Versão em português do “Manual da Masturbação Lesbofeminista” publicado originalmente em espanhol na Pikara, uma revista virtual latino-americana que posta vários conteúdos fodas. Apesar do título e de alguns pontos do manual diretamente direcionados às mulheres lésbicas, o guia é útil à todas as mulheres que querem conhecer melhor seu corpo e se amarem mais. Bom proveito! De antemão, adianto que não concordo com absolutamente todos os pontos do manual, mas que se me dispus à traduzir tal conteúdo é porque compactuo com a ideia geral do texto. Não alterei nada do mesmo por respeito às autoras. Aqui falamos de amor: nenhum comentário machista, preconceituoso ou que incite o ódio será tolerado. Manual da masturbação lesbofeminista (“Eu mereço estar sexualmente satisfeita. As mulheres merecem estar sexualmente satisfeitas. Eu mereço orgasmos múltiplos. Eu mereço essa merda”) Sobre o lugar: Busque um espaço privado, um lugar onde não seja interrompida por requerimentos de cuidado, asseio, alimentação, suporte emocional ou reforço aos egos masculinos. Ainda que nós mulheres tenhamos sido historicamente excluídas dos espaços públicos, isso não significa que nós tenhamos privacidade. Para nós, a …