Mês: março 2017

Infecção urinária – Considerações sobre a maldita.

A foto que abre essa matéria é meramente ilustrativa. Não se mate. Sossega Carla, o amor é isso que você está vendo, hoje beija, amanhã não beija, depois de amanhã é domingo e segunda feira ninguém sabe o que será. Como a cândida, infecção urinária é uma coisa que infelizmente mais hora menos hora toda mulher vai ter o desprazer de ter. A infecção urinária se caracteriza por uma vontade de fazer xixi toda hora, ainda que quando você sente na privada saiam apenas umas gotinhas, ardendo como o diabo. A gente fica irritada, nervosa, sem conseguir fazer nada direito, com vontade de matar. Vejo a saúde íntima feminina como um reflexo de seu estado emocional. A infecção urinária ataca quando nossa imunidade está baixa, quando estamos tristes, ou cansadas, trabalhando demais, dormindo pouco, comendo mal. Ela pode ser decorrente também de longas sessões de sexo, sexo feito com bexiga cheia ou falta de xixi após as relações sexuais para limpar os canais urinários. por ser uma infecção bacteriana, ela pode acontecer também quando seu ou sua companheira …

O empreendorismo não é novidade para as mulheres negras

(Por Raíssa Haizer) À frente de um grupo de mulheres negras empreendedoras todo dia fico a par de inúmeras situações desgastantes e preconceituosas para nós. A sociedade segue não valorizando o  trabalho de pessoas negras, e os brancos por debaixo dos panos muitas vezes continuam achando que estamos aqui para continuar servindo e doando nossos corpos para trabalhos mal remunerados, quase escravos. Por isso hoje decidi escrever sobre afroempreendedorismo na sua mais pura essência e ação diante de vidas negras. Me lembro bem de quando aos 14 anos dei entrada na ONG na rua debaixo da minha para começar o curso de cabeleireira, e meus colegas de escola me perguntarem porque não havia escolhido um curso de informática ou inglês. Respondi que ser cabeleireira meu sonho, logicamente uma mentira. Meu sonho era ser bailarina mas isso não daria dinheiro, não pra mim, negra e pobre. Quando decidi me tornar cabeleireira, minha visão não era de futuro, eu não pretendia me tornar uma profissional reconhecida, nem nada do tipo. O que motivava eram as necessidades que gritavam no momento presente: eu queria e …

Para as mulheres negras, só o amor próprio não basta

(Por Milena Badu) Alguns dias eu acordo querendo ser mulher branca, pedindo todo tempo pra Deus cabelos lisos e olhos claros. E antes que elogiem minha beleza e a estética da mulher negra, entendam que isso é sobre racismo e privilégios. Quando eu oro pra acordar como uma mulher branca, a oração não vem porque minha pele não me agrada e sim porque agressões diárias são cansativas. Eu oro pra ter acesso aquela cargo de emprego que me é negado, eu oro pra ser hipervalorizada pela sociedade, eu oro pra ser enaltecida pelos meus traços, eu oro pra que eu não tente mais mudar meu cabelo, meu nariz, meus lábios, eu oro pra não tenham mais nojo dos meus mamilos e vagina preta. A luta, a força e a garra são cansativas. A oração é o pedido mais sincero que eu faço pra que eu tente sair desse campo minado de machismo, misoginia e racismo. E o que a oração me traz como resposta é que só o amor próprio não basta, só a guerra, a …

(Auto)gordofobia

(Por Maíra Rodrigues) Chamei uma amiga ontem para conversar porque eu precisava de ajuda. Passei o dia andando na rua, aqui em Beagá, um dia frio, de vestido. O motivo? Ouvi dizer que tremer de frio faz emagrecer. A vontade de emagrecer era tanta que eu perdi o apetite. Me forcei a comer duas vezes ao longo do dia, mas comia e arrependia. Pra que ingerir aquelas calorias “a mais”? Ela foi fofa, como sempre é, ela entende o que é isso. Uma vida inteira sendo criada para se odiar, para achar que beleza está ligada a um tipo físico que é bem claro – claro mesmo: mulher bonita é branca, tem cabelo liso, comprido, pele lisinha-sem-manchas, é magra – não é esbelta, é magra mesmo. O que for diferente disso pode ser gostosa, exótica, estilosa, “com personalidade”, mas bonita não é. Tive uma fase quase magra quando criança. Fora isso, sempre fui gorda. “Mas, Maíra, você não é gorda”, tem amigues que sempre dizem isso. Não sei se estão tentando ser “legais” (porque ser …

Como usar drogas e não pegar os carrego-energia-ruim-da-rua, pesquisar

Do mesmo jeitinho que a gente sabe que glitter fode a natureza, mata os peixes, não sai nem por reza, etc, usar drogas no carnaval é o tipo da coisa que quem tem o mínimo de experiência de vida sabe que no(s) dia(s) seguinte(s) vai ser uma merda, que a ressaca vai ser sinistra, que provavelmente depois de se abrir pra todo tipo de energia – positiva e negativa – você vai pro fundo do poço, etc, etc, etc… Mas a gente faz mesmo assim. Embora me assuste um pouco que a gente enquanto sociedade tenha que fazer uso de substâncias para recuperar a espontaneidade para fazer coisas como dançar, conhecer pessoas, trocar ideia e se divertir, o uso de drogas alucinógenas se observa para os mais diversos fins desde a mais remota antiguidade; expandir a consciência é um desejo natural humano. Eu sei que a gente não precisa disso, que existe um paraíso de felicidade dentro de cada um de nós que poderia ser acessado a partir da meditação, por exemplo. eu sei disso …