Ano: 2016

Homens que só mascam na internet mas não tem coragem de chegar perto na vida real

Quando falamos que a forma de se relacionar, inclusive afetivamente, foi completamente revolucionada pelas novas tecnologias, não estamos falando unicamente do Tinder e outros aplicativos de pegação. Existimos na rede através de uma persona virtual, construída a partir da seleção do que achamos ser melhor em nós ou queremos mostrar aos outros. O que acontece na internet realmente afeta a “vida real”. Ou melhor, uma vez que hoje em dia essas esferas estão tão intimamente imbricadas (afinal dormimos e acordamos conectados) ainda faz sentido fazer essa distinção entre vida online e vida real? Um amigo, bem gatinho aliás, outro dia veio fazer graça comigo que me viu no Tinder, e falar como é engraçado encontrar conhecidos por lá. Também acho. Criei um Tinder mas nunca consegui usar direito. Às vezes passo as caras como num cardápio, só pra ver quê que tá rolando no “mercado”. Mas não consigo render conversa com ninguém e nunca saí com nenhum match. Gosto de gente diferente e única. Eu não sei se é por causa da localização, ou da …

O bloco dos bobos que ainda não aprendeu a separar sexo de amor

Sou do grupo de pessoas que acredita que a pele é o órgão mais erógeno do corpo. Prezo o toque, o cheiro, o gosto. Na época em que eu namorei a distância, mais do que o sexo em si, eu sentia falta do carinho e dos beijos na boca, coisas que dificilmente a masturbação é capaz de suprir. Sou chata e exigente na cama. Gozo fácil e acho que mereço gozar diversas vezes por noite. Justamente por isso, raramente vou pra cama com alguém que acabei de conhecer. Já aconteceu, é óbvio, e em algumas dessas vezes foi maravilhoso. Pessoas que senti uma conexão muito especial, aquela química louca e pá. Mas na maioria das vezes, só me deito com pessoas que eu sinto um algo a mais, uma conexão mais forte. Não tô ditando regra nenhuma, obviamente sou a favor da mulher agir conforme queira. Expresso um posicionamento bem pessoal que adoto hoje em dia, depois de já ter procedido de outras formas, ou seja, transado com uns boy nada a ver e vendo …

O silêncio do feminismo em torno do funk putaria

Acompanhando a alta de preço das passagens de ônibus Brasil à fora, a tarifa em Belo Horizonte se fixou em R$3,70 desde o começo do ano. Se nunca fui muito chegada a pagar passagem, depois do aumento então… Quarta feira, por volta das dez da noite, um grupo de quatro meninos ocupavam os bancos da frente do 9101. O mais novo devia ter uns 13 anos, o mais velho uns 21. Boné, sobrancelha feita, pézinho aparado, uns tênis daora. Eles não passariam a roleta, nem eu. Não sei bem como, começamos a conversar. Papo vai, papo vem, revelei ser DJ de rap e funk. Já esperava a reação: – Você!? Branquinha assim? Não tem cara, parece que gosta de rock (provavelmente por causa das tatuagens, vai saber). – É, eu sei, todo mundo se espanta, mas ouço funk desde menorzinha – e o papo seguiu. Falei de alguns incômodos que tinha em relação a certos caminhos que o funk estava tomando, da falta que eu sentia da presença de mais MCs mulheres e da dificuldade de …

Com 12 mil likes, a página do blog Clitóris Livre é arbitrariamente deletada do Facebook

Sobre proibições de se dizer o que pensa Aconteceu no começo do ano. Eu estava bloqueada há um mês de postar, curtir ou comentar qualquer coisa no Facebook por algo que tinha postado na página do blog, acho que um gif de uma ilustração (isso mesmo, um desenho!) de uma menininha de cabelos curtos que recebia um oral. Passei o ano novo no interior de Minas, num pico lindo, e quando cheguei em casa me deparei com a notícia que a página tinha sido deletada por não estar de acordo com os valores da rede social. A página do Clitóris Livre, que agora refeita, conta 300 e poucas curtidas, antes de ser deletada tinha mais de doze mil. À princípio eu não liguei muito, ou não tive reação, mas depois fiquei pensando nos significados simbólicos disso, e fiquei bolada. O Facebook que se diz à favor dos direitos dos gays e da liberdade do relacionar-se e o cacete, faz avatar de bandeirinha colorida e tudo o mais, é o mesmo que silencia uma mina que …