Mês: junho 2016

Como me desvinculei das garras do desemprego e depressão

Depois de ter iniciado (e largado) a graduação em Ciências Sociais; no meio de 2014 me formei em Comunicação Social, com ênfase em Jornalismo. Gostando de escrever, fazer a monografia foi uma das melhores coisas que fiz na vida. Eu amei ter tido a oportunidade de escolher um tema, pesquisar e desenvolver um trabalho à respeito. O ano e meio que se passou depois da graduação, entretanto, foi talvez o pior período da minha vida. Tendo começado a trabalhar aos 14 anos, e tendo sido explorada de todas as formas possíveis em estágios durante a época da faculdade, eu acabei arrumando um bloqueio com trabalho, uma revolta muito grande: simplesmente não aceitava a possibilidade de vender meu tempo para uma agência de publicidade ou empresa cujos valores não me contemplavam em troca de (literalmente) uns trocados. O fundo do poço Uma depressão me tomou e eu nem procurava emprego. Mesmo se procurasse, não acharia. Com a crise, o mercado da comunicação estava especialmente uma bosta, em Belo Horizonte então… Eu simplesmente não via nem ficava …

Esquente seus dedos antes de me tocar

É engraçado como o oco úmido e quente das bocas foram feitos exatamente para o bico dos mamilos. Cheiro. Clara era muito ligada em cheiro. Era do tipo de mulher que se sentia especialmente feliz em dormir em roupa de cama nova, com perfume de sol. Deus tinha feito a pele dela macia, a boca macia, a língua doce. Ela conhecia o amor já. Tinha experimentado um bom número de homens na vida, sabia por onde gozava mais fácil, mais fundo, sabia fazer gozar. Quando conheceu o amor verdadeiro, soube logo assim que se deitou com ele. Fizeram amor quatro vezes seguidas. Às vezes quando uma pessoa ama muito a outra o pau não fica mole nunca, e fica-se excitado só de estar perto, respirando o mesmo ar. Eram amigos há uns anos já, Pedro e ela. Estavam profundamente bêbados quando se beijaram pela primeira vez. Clara jura ter visto estrelas, o que até hoje interpreta como um sinal de que em sua frente estava uma alma há muito tempo conhecida sua, que era previsto …

Sobre expectativas: a real é que a gente ainda espera um princípe encantado

Da última vez que eu pedi um namorado com sinceridade pra Deus, veio um cara maravilhoso, que cozinhava meu almoço antes deu ir trabalhar, passava creme em mim quando eu saía do banho (que saudade disso!) e lia Guimarães Rosa pra mim antes de dormir. Tava lembrando disso por quê agora tem mais de ano que eu tô solteira, e fico analisando os rolos que eu me meto, com uns caras do mesmo padrão, que só me fazem sofrer. Depois de ter passado por esse cara que quase beirava a perfeição (exceto pelo fato de que morava há 434 km de distância de mim nos últimos dois anos de relacionamento) eu quase que só me envolvi em treta errada. Depois desse último namorado, que era um amorzinho, eu passei a não sei por que motivo a rejeitar homens bonzinhos e só me interessar por aqueles com cara de mau. O padrão é o seguinte, eu olho entre as opções, e escolho aquele que tem uma seta vermelha neon flamejante piscando indicando PERIGO. Geralmente são homens muito …