Mês: agosto 2015

Amor livre ou sexo livre? Sobre amor, relacionamentos abertos e amizade

Para ler ao som de Marriage is for old folks – Nina Simone Por maior que seja o amor entre um casal, mais dia menos dia (sempre) chega o momento em que um dos dois se percebe atraído por uma outra pessoa além do conjugue em questão. Geralmente incompreendido e demonizado por nossas mães e avós como reles “putaria” e “sem vergonhice”, o impulso de beijar ou ter relações sexuais extra-conjugais vem sendo cada dia mais debatido e vivido pelas gerações mais novas. Essa nova forma de relacionamento ganha nomes simpáticos e diversos, tais como “relacionamento aberto”, “amor livre”, “poli-amor”… Mas a situação está longe de ser tão simples ou bem resolvida quanto indicam os termos que a referenciam. Mesmo refletindo sobre a “Ética do tesão na pós modernidade”, conforme ilustrou a genial Katzen Minze/Garota Siririca, em que medida os homens continuam privilegiados nas relações poligâmicas e/ou nos triângulos amorosos? Se nossos avôs já traíam nossas avós, abertamente ou por debaixo dos panos, talvez não haja muito nada de novo nessa história de relacionamento aberto. Uai, mas …