Mulher na Arte
Comentários 5

Projeto “Despudorados”: Explicando melhor a proposta – Convite e instruções

Ainda que parecidos, não há neste mundo um ser que seja exatamente como outro. Cada indivíduo traz à Terra sua história, que é unica, suas particularidades físicas, psicológicas, emocionais, espirituais… Na idiossincrasia de cada ser, ou seja, nas características únicas de cada pessoa, reside sua beleza.

O problema é que em um mundo cada vez mais padronizado, onde até mesmo o dito ‘alternativo’ tem regras próprias e receitas a serem seguidas, tendemos a negar nossas particularidades, nossa essência, para nos encaixar de alguma forma nos moldes que nos foram apresentados.Na rígida disciplina social imposta sobre nossos corpos, instaura-se qual é o tipo de cabelo ideal, o formato da barriga e do peito aceitável, a quantidade de pêlos permitida, o tamanho do pinto, e assim por diante.

Racionalmente todo mundo sabe que a capa da revista recebeu quilos de Photoshop para ficar com aquela pele, aquela bunda, aquela cintura e aquela axila branca e lisinha… e que na verdade, até mesmo mulheres que dedicam sua vida em prol de esculpir o corpo também possuem celulite, estrias, um peito diferente do outro, marcas de expressão, pêlos encravados na virilha, etc.

Entretanto, mesmo que no plano consciente tudo isso seja relativamente claro e sejamos capazes de reconhecer a crueldade dos padrões irreais e inatingíveis que são impostos sobre nossos corpos, a desconstrução de nossas inseguranças não acontece da noite pro dia. Estamos falando de padrões profundos, que nos são ministrados desde a época em que, crianças pequenas, ouvíamos nossas mães e nossas tias falando do quanto estavam feias por estarem “acima do peso”, ou de como tinham pavor de ficarem “velhas e sozinhas”. (Isso sem nem entrar na moral cristã que fala que o corpo nu é errado, sujo e pecaminoso…)

A temática do corpo não se esgota. Eu poderia escrever horas aqui a respeito e mesmo assim ainda teríamos muito a que conversar. Se você lê agora esse texto é por quê de alguma forma demonstrou interesse em fazer parte do projeto “Despudorados”. Pra minha felicidade, muitas pessoas de dispuseram a participar, motivadas por intenções diversas.

Teve gente que animou participar por quê ama ficar pelado em tudo quanto é canto e se sente super à vontade com seu corpo; teve gente que animou, por outro lado, exatamente pelo motivo oposto, por quê ainda não se sente tão feliz com seu corpo e acredita que um ensaio desse pode ser um caminho de resgate de sua auto-estima; teve gente que animou por quê acredita que fazer um ensaio desse tipo pode ajudar a superar traumas de abusos sexuais; teve gente que animou por motivos políticos; teve gente que animou pelo simples prazer da experiência…

Sei que no nosso mundo pudico, tirar a roupa não é qualquer coisa e agradeço a cada um de vocês pela confiança. À princípio, meu objetivo era apenas tirar fotos de corpos nus no espaço público, umas dez fotos de cada um, na rua mesmo, rapidinho, mas na medida em que fui recebendo os muitos feedbacks, percebi que o buraco era mais embaixo e o trabalho deveria se expandir.

O projeto é composto por três dispositivos que podem operar simultâneamente, ou não: a nudez, a câmera e o espaço público. Há pessoas que se sentem à vontade em ficar nuas, mas não se sentem à vontade com a câmera. Há pessoas que se sentem à vontade em tirar fotos peladas, mas não no espaço público. Há pessoas que querem tirar foto no espaço público, mas não se sentem à vontade de ficar completamente nuas e querem fazer as fotos de roupas íntimas. A partir desses três elementos, há várias combinações possíveis.

Até agora, recebi por volta de 60 respostas de pessoas interessadas. Gostaria de explicar que esse trabalho é um projeto paralelo meu, que não tem perspectivas de dar lucro, e que portanto eu preciso continuar meus corres pra virar o pão de cada dia. Garanto que vou tirar foto de cada um que animou, mas pela quantidade de pessoas interessadas, não é sempre que eu vou ter a disponibilidade pra tirar fotos assim que tive a resposta positiva da pessoa, e gostaria que vocês tivessem uma compreensão massa disso. Que vai rolar, vai, mas é preciso um pouco de paciência com a data…

Para alinhar as propostas e tornar as coisas todas mais claras, assim como marcarmos datas, etc, criei esse formulário que peço que você preencha com seus dados e ideias para o seu ensaio. É um formulário, mas é um formulário de humanas: subjetivo, rápido e gostoso de responder. Um beijo e mais uma vez muito obrigada!

Clique aqui para preencher o formulário

Anúncios

5 comentários

  1. Oi Luisa… Já viu que tô esmiuçando o blog todo né? Vou lhe deixar uma dica pra facilitar o seu processo. Aceite fotos que lhe enviarem. Faça uma triagem e ZAZ! Um trabalho com muitos autores surge. Eu mesmo, tenho algumas fotos interessantes na natureza.
    Ficadica. 😉

    Curtir

  2. Michele Joe diz

    pena que não sou de BH, pena que cheguei tarde..adoraria participar dos “despudorados” 🙂

    Curtir

  3. Pingback: Projeto Despudorado | Sociedade Secreta Zvezda

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s